PMI debate com empresas de segurança regulamentação do ‘Ipatinga Segura’

O prefeito explicou que a iniciativa se torna necessária diante da vulnerabilidade da segurança pública em muitas áreas da cidade .

Representantes de algumas das principais empresas de segurança eletrônica de Ipatinga estiveram reunidos com o prefeito Sebastião Quintão e alguns de seus secretários, na tarde de quarta-feira (12), para discutir detalhes relativos à implantação, no município, do Programa Ipatinga Segura, que prevê ações voltadas para a ampliação da segurança individual e coletiva por meio de instalação de sistemas eletrônicos de monitoramento. Conforme projeto de autoria do Executivo, aprovado esta semana na Câmara de Vereadores, serão concedidos incentivos fiscais aos proprietários de imóveis residenciais e comerciais que promovam a instalação de câmeras de vigilância com alcance de áreas públicas. Todo investimento deverá ser ressarcido pela Prefeitura por ocasião da cobrança do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU).

O prefeito explicou que a iniciativa se torna necessária diante da vulnerabilidade da segurança pública em muitas áreas da cidade e o crescente aumento da criminalidade, sem que haja uma contrapartida do Estado em investimentos necessários.

Sistema semelhante ao que está sendo projetado para Ipatinga já funciona em três cidades do Rio de Janeiro e também na capital de São Paulo. Em Santa Catarina, opera em Joinvile e, no Paraná, está sendo implantado também em Curitiba.

OS BENEFÍCIOS

Além de inibir a criminalidade e contribuir para investigações de fatos consumados, as câmeras poderão auxiliar na fiscalização, identificando, por exemplo, descartes irregulares de entulhos ou depredação de bens públicos.

Os critérios de adesão ao Programa, bem como as características dos equipamentos a serem implantados, deverão ser detalhados numa audiência pública com data a ser definida, além de grupos multiplicadores que poderão se formar em cada comunidade.

Entre mais de 80.000 imóveis no município, cerca de 10.000 já são servidos por segurança eletrônica. Conforme as empresas do setor, a cobertura atinge em torno de 80% dos comércios e 20% das residências.

Os munícipes poderão aderir ao ‘Ipatinga Segura’ de forma individual ou coletiva, numa espécie de vizinhança colaborativa. A operacionalização do sistema será assegurada também com o apoio de dois dos principais provedores de Internet que atuam na cidade, detentores de cerca de 60% do mercado.

O prefeito sugeriu que o programa comece a ser testado num certo ponto estratégico da cidade, que funcionaria como um canteiro experimental.

COMENTÁRIOS