Poder público trabalha para disciplinar licenças e padronizar quiosques e equipamentos recreativos, adequando-os a normas sanitárias

Foi apresentada nesta quarta-feira (12), na Prefeitura de Ipatinga.

Já aprovada na Câmara de Vereadores, a lei originária de projeto do Executivo que disciplina normas gerais para o exercício da atividade econômica no Parque Ipanema – e que atende também a exigências do Ministério Público – foi apresentada nesta quarta-feira (12), na Prefeitura de Ipatinga, a alguns dos principais interessados. Participaram da reunião, que contou com a presença do prefeito Sebastião Quintão e do secretário de Assuntos Institucionais, Régis Carlos, vários vendedores ligados à ACPI – Associação dos Comerciantes do Parque Ipanema.

Atualmente, conforme o presidente da ACPI, André Oliveira, há 39 barracas em atividade permanente no Parque Ipanema. Como aconteceu no primeiro mandato do prefeito Sebastião Quintão, a ideia é que o espaço utilizado seja novamente organizado, verificando-se aspectos paisagísticos, urbanísticos e técnicos. Os quiosques e equipamentos recreativos deverão se adequar às normas sanitárias, de segurança e padrões definidos pelo Poder Público.

No primeiro mandato de Quintão, os vendedores que atuam na área receberam cursos diversos, especialmente quanto à conservação e manipulação de alimentos, houve uma padronização dos quiosques e os trabalhadores também trabalhavam uniformizados, usando acessórios básicos de higiene.

“Nossa intenção é oferecer à população uma cidade o mais estruturada possível, que sirva com eficiência ao munícipe”, disse o prefeito durante a reunião, acrescentando ainda que “não há qualquer intenção de prejudicar quem quer que seja, embora seja necessário atender a exigências também de ordem legal e para os quais os interessados precisam estar atentos”.

Novas discussões deverão ser realizadas com a categoria, para elaboração de um projeto mais pormenorizado quanto à regulamentação das atividades no local.

VENDAS MAXIMIZADAS

A prefeitura também chamou a atenção, durante a reunião realizada quarta-feira, sobre um dos itens do programa ‘Pacto por Ipatinga’, em que está previsto que a avenida Burle Marx, no Parque Ipanema, terá o trânsito fechado a veículos motorizados nos finais de semana, a fim de que possam ser desenvolvidas no local atividades esportivas e recreativas sem comprometer a segurança dos usuários. “Isso certamente vai maximizar o potencial de comercialização dos vendedores, além de garantir, por exemplo, que as mães possam transitar com seus filhos livres de maiores riscos, usufruindo com mais tranquilidade do espaço público”.

O Parque Ipanema é considerado uma das maiores áreas verdades do País localizadas dentro de um perímetro urbano. Principal cartão postal da cidade, nele estão plantadas cerca de 12 mil árvores. Projetado com o objetivo inicial de preservar a margem do ribeirão Ipanema, foi um dos últimos projetos do paisagista internacionalmente conhecido Roberto Burle Marx.

COMENTÁRIOS